2015
-
Sul
Monitorando as Redes de Atenção a Saúde da Pessoa Idosa
A experiência de construção do Relatório Situação de Situação do Cuidado a Saúde da Pessoa Idosa no Estado do Rio Grande do Sul

TÍTULO COMPLETO: Monitorando as Redes de Atenção a Saúde da Pessoa Idosa 

INTRODUÇÃO

Apresentamos a experiência de Monitoramento das Redes de Atenção a Saúde da Pessoa Idosa no Estado do Rio Grande do Sul.  Esta ação foi desenvolvida pela Coordenação Estadual de Saúde do Idoso, em parceria com as Coordenadorias Regionais de Saúde. Todos os 497 munícipios do Estado foram convidados a preencher o instrumento de monitoramento e 142 munícipios de fato responderam. As informações obtidas pelo monitoramento subsidiaram a construção do Relatório Preliminar Situação do Cuidado a Saúde da Pessoa Idosa no Estado do Rio Grande do Sul. Este Relatório Preliminar constituí documento base e de referência para organização das ações estaduais em saúde do idoso.

Cabe a Coordenação Estadual de Saúde do Idoso a tarefa de ampliar a garantia de Atenção Integral à Saúde das pessoas com 60 anos ou mais, promovendo a manutenção da capacidade funcional e da autonomia o que contribui para um envelhecimento ativo e saudável.

São nossas diretrizes de trabalho:

1. Fortalecimento da Atenção Primária à Saúde como centro da atenção à saúde do idoso. Ações prioritárias: Implementação da Estratégia da Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa, Realização da Avaliação Multidimensional Rápida da Pessoa Idosa e Classificação de Fragilidade, Responsabilidade sanitária sobre as Instituições de Longa Permanência de Idosos no território de abrangência das equipes de saúde da família habilitadas e Garantia de acesso prioritário aos serviços de saúde nos termos da lei;

2. Organização da rede de atenção à saúde da pessoa idosa, com forte ordenamento da Atenção Primária em Saúde, garantindo a continuidade de acesso e cuidado nos pontos de atenção especializados em especial para os idosos frágeis. Ações Prioritárias: Ampliação da Cobertura de Equipes de Atenção Domiciliar e de fonoterapia e fisioterapia domiciliares, Regionalização de Ambulatórios Multiprofissionais de Atenção ao Idoso (cuidado geriátrico e gerontológico), Organização de um Protocolo de Regulação para Geriatria Clínica e redefinição da vocação dos Hospitais de Pequeno Porte do Estado para cuidado em saúde do idoso;

3. Reconhecimento da pessoa idosa como usuário “sócio sanitário” do Sistema Único de Saúde, ou seja, as ações de cuidado devem ser articuladas com outras políticas públicas em especial com o Sistema Único de Assistência Social. Ação prioritária: Articulação sanitária para acompanhamento da implementação dos serviços de alta complexidade da Assistência Social que envolvem a moradia e o cuidado das pessoas idosas, em especial as Instituições de Longa

Permanência para idosos;

4. Produção de modelos de atenção à saúde da pessoa idosa que invistam na implementação de ferramentas centradas no autocuidado e em planos integrados de cuidado. Ação Prioritária: Consolidação de Diretrizes Estaduais de enfrentamento a Iatrogenia.

5. Corresponsabilização no financiamento do cuidado a saúde da pessoa idosa. Ação Prioritária: Garantia de cofinanciamento em todos os níveis de atenção a saúde das pessoas idosas e atrelamento dos financiamentos a resultados: ex. PIES atrelar a compromissos da Atenção Primária em Saúde da Pessoa Idosa;

6. Educação permanente aos profissionais de saúde em áreas de interface para o cuidado em

saúde da pessoa idosa. Ação Prioritária: Garantia da oferta de formação para os profissionais do

SUS em temas relativos ao envelhecimento e ao cuidado em saúde da pessoa idosa.

Neste sentido, desenvolvemos um instrumento de mapeamento das ações em saúde do idoso para que cada município do Estado reflita e informe que serviços, estrutura e pontos de atenção mantém em sua Rede Municipal. Este mapeamento/monitoramento permitiu a construção do Relatório Preliminar - Situação de Cuidado a Saúde da Pessoa Idosa no Estado do Rio Grande do Sul.

OBJETIVOS

Por meio desta iniciativa produzimos um documento de referência preliminar para as Redes de Atenção em Saúde do Idoso, demonstrando a situação do Estado, as diretrizes e os desafios para efetivação do Cuidado a Saúde da Pessoa Idosa.

ATIVIDADES

Por meio das 19 Coordenadorias Regionais de Saúde do Estado todos os gestores municipais de saúde receberam um instrumento padrão para preenchimento de informações sobre a Rede Municipal de Atenção em Saúde do Idoso.

EQUIPE

Participaram da ação as 19 Coordenadoras Regionais de Saúde do Idoso do estado e a Coordenação Estadual totalizando 21 pessoas diretamente envolvidas.

EQUIPAMENTOS E RECURSOS

Os custos e materiais foram absorvidos na rotina de monitoramento das ações em saúde não seno possível mensurá-los.

RESULTADOS

Tivemos adesão ao instrumento de monitoramento de aproximadamente 30% dos municípios gaúchos. As informações dos municípios subsidiaram a construção do Relatório Preliminar.

 

Ficha técnica


Município: 
142 Municípios do Estado, RS

Instituição Responsável: 
Secretaria de Estado da Saúde

Parceiros: 
Coordenadorias Regionais de Saúde

Coordenador da experiência: 
Coordenação Estadual de Saúde do Idoso

Email da coordenação: 

Telefone institucional: 
(51) 32885895

Beneficiados: 
Pessoas Idosas do Rio Grande do Sul


Categoria da experiência: 
Organização da atenção à saúde da pessoa idosa na Rede de Atenção à Saúde (implementação de linha de cuidado, regulação, fluxos, etc.)

Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa/DAPES/SAS/MS
Telefone: (61) 3315-6226
idoso@saude.gov.br