2014
-
Sudeste
Construindo uma rede de atenção
Construindo a rede de atenção e proteção ao idoso de São Mateus (SP)

Oficialmente, São Mateus é um bairro de São Paulo. Localizado na periferia da cidade, tem população e escala de município: 430 mil habitantes, entre eles 60 mil pessoas idosas. Quase 18 mil delas são atendidas por cerca de 40 serviços, que se desdobram para além da área da Saúde. Contudo, embora com vários serviços para a população idosa nas dimensões estadual e municipal, a assistente social Vera Lúcia Mariano da Silva, responsável pela supervisão técnica da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, conta que “o problema é que não havia articulação entre eles, o que começou a ser feito em 2008, através de reuniões mensais que vêm debatendo metas de melhoria desses serviços e elaborando um sistema para monitorá-los”.

As etapas percorridas foram: I) caracterização do território; II) identificação dos serviços que compõem a rede de atenção à pessoa idosa; e III) estratégias para a formação da Rede. Nesse sentido, criou-se um suporte complexo de permanente discussão e ação, com representação de estado, município e sociedade civil de São Paulo.

Assim, foram estabelecidas três estruturas: o Comitê de Longevidade e Vida Saudável, o Fórum do Cidadão Idoso e o Colegiado do Idoso. O primeiro é integrado por profissionais do Hospital Estadual São Mateus e do governo municipal, além de lideranças locais e é responsável por elaborar as atividades com a população idosa e identificar riscos. O Fórum, por sua vez, tem o objetivo de controlar as instâncias públicas locais e é integrado por lideranças da comunidade idosa. Já o Colegiado do Idoso é composto por profissionais dos vários tipos de serviços, e existe para dar o suporte técnico à tomada de decisão dos três grupos.

Entre as estratégias para a formação de Rede de Cuidados da Pessoa Idosa com ênfase no planejamento de ações intersetoriais, destacam-se: capacitação da ESF nas temáticas medicamentos e quedas; formação de colegiado com profissionais de referência; Semana de Prevenção de Violência e Quedas; participação dos idosos em todo o processo, como em “Encontros mensais do Fórum do Cidadão Idoso”; e  ações intersetoriais no território.

O objetivo atual dessa rede é atender a pessoa idosa que é autônoma e independente, mas a meta é ampliar o número e a qualidade dos serviços também àqueles com capacidade funcional comprometida e implantar mais Programas de Assistência ao Idoso (que já existem em outras regiões da cidade), e Unidades de Referência para os que têm algum tipo de comprometimento. Estas últimas "começam a ser instaladas em janeiro de 2015, e contam com recursos do orçamento municipal”, observa Vera. Ressalte-se que a realização de Avaliação Multidimensional na Atenção Básica é uma ação descrita como um dos grandes desafios para o atendimento integral das pessoas idosas. Entre as dificuldades enfrentadas, há também a falta de recursos humanos, que inviabiliza a habilitação de alguns serviços.

 

“O objetivo atual da rede é atender a pessoa idosa independente e autônoma, mas a meta é ampliar o número e a qualidade dos serviços.”
Vera Lúcia Mariano da Silva

 

Ficha técnica


Município: 
São Paulo, SP

Instituição Responsável: 
Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo

Parceiros: 
Hospital Estadual São Mateus

Coordenador da experiência: 
Vera Lúcia Mariano da Silva

Email da coordenação: 

Telefone institucional: 
(11) 9413-49374

Beneficiados: 
todas as pessoas idosas da região


Categoria da experiência: 
Organização da atenção à saúde da pessoa idosa na Rede de Atenção à Saúde (implementação de linha de cuidado, regulação, fluxos, etc.)

Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa/DAPES/SAS/MS
Telefone: (61) 3315-6226
idoso@saude.gov.br