2016
-
Sudeste
Implantação do Apoio Matricial em Geriatria no Município de são José dos Campos

TÍTULO COMPLETO: Implantação do Apoio Matricial em Geriatria no Município de são José dos Campos

 

INTRODUÇÃO

O processo rápido de envelhecimento no Brasil, a falta de preparo do SUS para atender às necessidades dessa população, o número reduzido de geriatras e de gerontólogos, o olhar fragmentado do profissional de saúde e sua falta de capacitação destes para realizar o atendimento de forma integral ao idoso motivou o Programa Saúde do Adulto/Idoso a desencadear o processo de matriciamento em geriatria no Município de São José dos Campos/SP.

O matriciamento vem acontecendo através de encontros trimestrais (divididos em módulos), para médicos da atenção primária, no formato de educação continuada, com temas alternados entre geriatria e atualização de doenças crônicas, utilizando o método de “Aprendizado baseado em problemas, a partir de casos reais”, Cursos e  aulas expositivas/práticas, contando com a participação dos especialistas da atenção secundária e terciária como matriciadores. E também por suporte telefônico a distância. No momento já realizados 08 módulos, com participação aproximada de 100% dos médicos da atenção básica.

Esta experiência favoreceu um trabalho conjunto com aumento nos vínculos entre os profissionais nos diversos níveis de atenção levando a mudanças no processo de trabalho das unidades. Observou-se uma maior qualificação e humanização no atendimento clínico do idoso com redução nas iatrogenias e na qualidade dos encaminhamentos para o geriatra. E ainda uma melhora no controle das doenças crônicas e uma assistência mais qualificada aos idosos fragilizados.

OBJETIVOS

•              Aproximar os profissionais da atenção secundária (geriatras e outros especialistas) dos clínicos e médicos de família na atenção primária, visando a construção de um trabalho conjunto e mudanças no processo de trabalho para que esse se torne mais acessível, qualificado e humanizado.

•              Sistematizar o protocolo de geriatria pré-estabelecido e o fluxo de encaminhamento para o ambulatório de geriatria.

•              Preparar o Clínico e o médico de família para atender e suprir a crescente demanda de pessoas idosas, favorecendo novas perspectivas de atendimento especializado a esses com ênfase no processo de envelhecimento e suas consequências físicas, psíquicas e sociais, oferecendo formação ampla e atualização aos profissionais.

•              Melhorar o controle das doenças crônicas, autonomia e independência dos idosos, estimular um envelhecimento mais ativo e saudável, reduzir hospitalização e melhorar a assistência ao idoso fragilizado.

ATIVIDADES 

•              Organização do fluxograma da linha de cuidado do idoso na rede municipal de saúde e criação de critérios para encaminhamento para o ambulatório de geriatria. Houve necessidade de articulação entre os 3 níveis de atenção (primário, secundário e terciário) e com as casas dos idosos;

•              Sistematização do Caderno da Pessoa Idosa/MS como protocolo clínico no atendimento do idoso e iniciação na aplicação da caderneta do idoso como instrumento de identificação do processo de fragilidades e vulnerabilidades do idoso;

•              Elaboração e validação de Protocolos clínicos para algumas doenças crônicas e atualização dos já existentes, visando alinhamento de condutas e linguagens e maior confiança ao atendimento dos profissionais da atenção primária;

•              Solicitação de parceria com profissionais do setor secundário (geriatras, cardio, neuro, endócrino, vasculares e outras especialidades e ainda fisioterapeutas e fonoaudiólogos) para realizarem as discussões de casos e darem suporte telefônico em situações especiais aos profissionais médicos da base, e com o setor terciário (médicos e enfermeiros emergencistas) para os cursos;

•              Realização de encontros trimestrais (divididos em módulos) para clínicos e médicos de família no formato de educação continuada, com temas alternados entre geriatria e atualização de doenças crônicas, utilizando o método de “Aprendizado baseado em problemas, a partir de casos reais”, “Cursos de noções de ECG, de Suporte Básico e Avançado de Vida”, e aulas expositivas e práticas. Nesses encontros contamos ainda com a participação de alguns profissionais de nível superior tipo: fono, fisio, enfermeiros e outros que possam contribuir com a ampliação da discussão técnica, relacionado com o tema daquele módulo.

•              Formulação dos módulos: cada módulo acontece em 3 a 4 turmas, com um número estimado de 30 participantes, com duração de 04h, em horários diversos contemplando o maior número de profissionais;

•              Disponibilização digital de todo material educativo para as Unidades de saúde (protocolos, aulas, casos clínicos...)

•              Elaboração de folderes educativos para população idosa a serem distribuídos durantes as orientações nas consultas médicas, de enfermagem, nutricionistas e grupos educativos etc;

•              Reorganização e controle (termo) na dispensação de alguns medicamentos de alto custo que beneficiam os idosos, tornando possível a descentralização para as unidades básicas e desburocratização dos mesmos;

•              A segunda fase do matriciamento conta com a ampliação deste para o restante da equipe através de visitas semestrais do Programa nas UBSs, para sensibilização das equipes sobre algumas problemáticas de maior relevância (ex: Uso Racional de Medicamentos, Avaliação multidimensional do idoso, identificação do processo de fragilidade no idoso através da aplicação da caderneta do idosos). E ainda com a enfermeira especialista em estomaterapia para capacitação in loco das equipes sobre os cuidados com as feridas.

 

As atividades tiveram início em setembro de 2014, com realização de 08 módulos de educação continuada até o momento com participação dos seguintes profissionais:

•              Módulo I - Avaliação global do idoso, capacidade funcional e fragilidade (36 clínicos e 03 geriatras)

•              Módulo II – Depressão, déficit cognitivo e delírium (40 clínicos, 03 geriatras, 04 fonoaudiólogos, 02 fisioterapeutas)

•              Módulo III – Diabetes tipo II e Doenças tireoidianas (57 médicos e 01 endocrinologista)

•              Módulo IV – Cuidados à pessoa com feridas (94 médicos, 65 enfermeiros, 01 fisioterapeuta, 02 cirurgiões vasculares)

•              Módulo V – Polifarmácia, Iatrogenia e Uso racional de Medicamentos (29 clínicos e 02 geriatras)

•              Módulo VI – Diagnostico diferencial das cefaleias e síndromes convulsivas (77 clínicos e 01 neurologista)

•              Módulo VII - Arritmias Cardíacas na prática clínica e Prescrição de atividade física em pacientes com doença cardiovasculares (61 médicos e 01 cardiologista)

•              Módulo VIII – Suporte Básico e Avançado de Vida (30 médicos e 28 enfermeiros)

 

Visitas as UBS e seu território: (a fase 2 está sendo realizada concomitante aos módulos)

•              Capacitação dos profissionais da saúde (ACS e profissionais de nível médio) e das casas do idoso (equipe multidisciplinar) para preenchimento da caderneta do idoso e reconhecimento do idoso em processo de fragilização e vulnerabilidades – (115 ACSs, 16 auxiliares ou técnicos de enfermagem e 29 outros profissionais)

•              Sensibilização para as equipes multidisciplinares sobre Uso Racional de Medicamentos (ainda em andamento) – visitado 67% das UBS (95 ACSs, 84 assistentes de enfermagem, 52 enfermeiras, 11 médicos, 03 dentistas, 02 ASB, 01 administrativo, 01 higienista e 01 fisioterapeuta)

 

 

EQUIPE

O projeto vem utilizando o recurso humano disponível na rede municipal:

•              Elaboração do projeto, articulações com parceiros intra e intersetoriais, elaboração de protocolos e fluxo de atendimento, Programa de Saúde do Adulto/Idoso (02 pessoas) em parceria com os demais departamentos e programas da SMS;

•              Colaboração e validação dos Protocolos clínicos: Médicos especialistas e Diretores dos Departamentos de saúde;

•              Logística dos encontros: 02 pessoas da divisão de educação permanente;

•              Os matriciadores: médicos especialistas da SMS, médicos clínicos com especialidades e outros profissionais de nível superior (fisioterapeutas, fonoaudiólogos, enfermeiros e outros), normalmente 01 ou 02 profissionais /módulo.

•              Público alvo: nos encontros de educação continuada – profissionais de nível superior. Nas visitas as UBS – toda equipe de saúde.

EQUIPAMENTOS E RECURSOS

•              Auditório – da própria Secretaria Municipal de Saúde

•              Equipamento - Lep top e data show, Sistema de informação local – SAMS, carro para visita as UBS (2ª fase)

•              Material educativo: caderno da Pessoa idosa e caderneta do idoso (Ministério da Saúde), Protocolos Clínicos de assistência ao portadores de doenças crônicas da SMS (disponível on line), os casos clínicos (disponibilizados no Curso de  Atualização em Atenção à Saúde do Idoso oferecido pelo Programa São Paulo Amigo do Idoso), papel sulfite para xerox do material gráfico disponibilizado nos módulos (disponibilizado pela SMS)

•              Material complementar (não obrigatório): os folderes educativos (confeccionado na nossa gráfica).

O projeto vem utilizando os recursos humanos e financeiros disponível da própria Secretária Municipal de Saúde

RESULTADOS

•              Melhora no vínculo entre os profissionais médicos, principalmente entre os especialistas e o médico da atenção básica.

•              Qualificação no atendimento clínico do idoso com qualificação dos encaminhamentos para o geriatra. E maior confiabilidade dos geriatras no retorno do idoso para acompanhamento na atenção primária.

•              Atendimento um pouco mais humanizado com o idoso, refletindo na diminuição das reclamações na ouvidoria quanto ao atendimento dos profissionais.

•              Observado uma maior identificação das vulnerabilidades e fragilidades dos idosos nos territórios, com intervenções sendo realizadas precocemente com maior resolutividade dos casos.

•              Redução das iatrogenias com idosos que tinha como uma das principais causas o uso irracional de medicamentos

•              Redução da automedicação por parte dos profissionais após sensibilização do Uso Racional de Medicamentos

Ficha técnica


Município: 
São José dos Campos

Instituição Responsável: 
Prefeitura Municipal de são José dos Campos


Coordenador da experiência: 
Alcione de Lourdes Fernandes Pereira

Email da coordenação: 

Telefone institucional: 
(12) 32121263



Categoria da experiência: 
Matriciamento das equipes da atenção básica sobre as especificidades de saúde da pessoa idosa, elaboração de Projeto Terapêutico Singular-PTS...)

Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa/DAPES/SAS/MS
Telefone: (61) 3315-6226
idoso@saude.gov.br