Ano: 
2018
Categoria: 
Implementação da Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa
Região da Prática: 
Nordeste
Município: 
Natal
Instituição Responsável: 
Secretaria Municipal de Saúde
Coordenação da experiência: 
Núcleo de Saúde do Idoso
Telefone institucional: 
(84) 3232-8008
Email da coordenação: 
saudedoidosonatal@gmail.com
O que motivou a realização dessa experiência?: 
A partir da capacitação da caderneta de saúde da pessoa idosa, realizada no nosso município pelo INCOR e Ministério da saúde, formamos o grupo condutor com o objetivo de multiplicar esse aprendizado para toda a rede de atenção básica.Várias propostas foram apresentadas, porém queríamos algo que de fato impactasse e sensibilizasse os profissionais e a população idosa/responsáveis. A ideia era que a caderneta de fato, fizesse parte do cuidado no cotidiano das pessoas idosas.
O que se esperava modificar ou realizar através da iniciativa?: 
• Permitir aprofundar o conhecimento em relação à população idosa cadastrada pela Estratégia Saúde da Família; • Permitir o acompanhamento longitudinal da pessoa idosa, por um período de cinco anos; • Possibilitar o monitoramento das condições crônicas de saúde e de outros fatores que podem interferir no bem-estar da pessoa idosa; • Possibilitar a identificação do idoso frágil, por meio da avaliação multidimensional (clínica, psicossocial e funcional); • Alertar o idoso e os profissionais de saúde sobre o uso de medicamentos potencialmente de risco; • Fornecer orientações sobre o autocuidado; • Auxiliar no manejo da saúde da pessoa idosa, podendo ser usada pelas equipes de saúde, pelos idosos, pelos familiares e pelos cuidadores; • Compor o plano de cuidado, que deve ser desenvolvido em conjunto com os profissionais de saúde.
Descreva as metas para o desenvolvimento da experiência (de 1 a 4, no maximo): 
Criar o grupo condutor
capacitar a equipe multiplicadora de cada Distrito sanitário
Implementar a caderneta em cada unidade básica de saúde
Avaliar as ações de implementação
Qual o perfil dos idosos envolvidos nessa experiência?: 
Toda pessoa idosa cadastrada na Rede de Atenção Básica
De que forma a experiência foi divulgada ao público?: 
Por meio dos ACS, visitas domiciliares e divulgação nas UBS
Onde foi desenvolvida?: 
Contemplou toda Rede de Atenção Básica do município.
Como os idosos foram selecionados para participar?: 
or meio de convites feitos por toda equipe da atenção básica
Quantos idosos pretendiam alcançar com essa experiência?: 
63000
Quantos idosos participaram da experiência, por ano de atividade?: 
2017- 15.000 2018- 30.000
Ao final, ou até o momento, quantos idosos participaram da experiência?: 
45000
Qual o principal motivo da saída dos idosos nas atividades da experência? Porque deixaram de participar?: 
Até agora não fomos notificados de saída de pessoas idosas da experiência, ao contrário, cada dia cresce mais o interesse das pessoas em participar.
Descreva detalhadamente como eram as atividades realizadas: 
Após a conclusão do curso com o MS e HCOR marcamos uma reunião com todos os participantes para decidirmos como seria implementada na prática a Caderneta. Várias propostas foram apresentadas, porém queríamos algo que de fato impactasse e sensibilizasse os profissionais e a população idosa/responsáveis. A nossa cidade é administrada e dividida em 5 Distritos Sanitários, dessa forma,enxergamos nos responsáveis pela atenção básica de cada Distrito, um grande aliado para multiplicar esse conhecimento. Assim, convidamos um profissional da própria sede e de cada UBS um ou dois profissionais para serem multiplicadores, dependendo do porte da unidade. CAPACITAÇÃO COM OS 5 DISTRITOS SANITÁRIOS/REPRESENTANTES DAS UBS: Realizamos em cada distrito uma capacitação com esse profissionais e a proposta seria: capacitarmos multiplicadores que iriam realizar em cada UBS a capacitação em dias e horários previamente definidos. Solicitamos nesse encontro, que cada UBS nos enviasse o número de pessoas idosas cadastradas, para que ao iniciarmos as capacitações, realizarmos a entrega a cada UBS do quantitativo de cadernetas solicitadas. Cada UBS agendou o dia D para realizar a capacitação de implementação. CAPACITAÇÃO NAS UBS: No dia marcado, todos os profissionais da UBS foram envolvidos, inclusive o pessoal de apoio. Não foi realizado atendimento durante um turno e todos voltaram-se para conhecer a caderneta e sua aplicação. Na oportunidade,além do passo-a-passo para conhecerem a caderneta, foram realizadas dinâmicas, estudos de caso, dentre outras atividades integrando todos os participantes. ENTREGA DA CADERNETA E SENSIBILIZAÇÃO DA POPULAÇÃO IDOSA E RESPONSÁVEIS: A implementação da caderneta ecoou, trazendo visibilidade para esse instrumento tão precioso para a população idosa. A partir das capacitações com os profissionais, cada UBS iniciou o processo de entrega. Cada unidade com sua maneira de trabalho, seja por meio dos grupos operativos, seja por meio de momentos nas salas de espera das unidades, espaços sociais no território. A idéia era entregar sensibilizando, explicando, mostrando. Nesse momento, contamos com o apoio de estagiários das universidades, alunos das disciplinas de SACI/POTI da UFRN, enfim, outros atores foram se engajando, sempre na perspectiva de um trabalho lúdico e interativo. OUTRA ESTRATÉGIA: Adotamos também, por meio de Nota Técnica, a Caderneta como cartão oficial de vacina para a população idosa aqui no município, como estratégia de divulgação e objetivando habituar profissionais e população a utiliza-la,tendo sido inclusive matéria veiculada na mídia local. Esperamos que a caderneta se consolide como um instrumento indispensável ao cuidado a pessoa idosa com o apoio da população em geral e de todos os profissionais.
Descreva quais as dificuldades encontradas para realização das atividades.: 
Falta de envolvimento de alguns profissionais; Falta de organização em alguns locais.
Quais foram os resultados observados depois da implementação?: 
Hoje há uma preocupação dos profissionais de saúde em preencher a caderneta , principalmente em relação aos usuários acamados e domiciliados, realizada pelos ACS; Adesão e valorização por parte dos idosos à caderneta; Portaria municipal que adotou a caderneta como cartão oficial de vacina para usuários da atenção básica; Trabalho realizado com os novos estagiários para que haja continuidade na implementação da caderneta.
Descreva os resultados observados de acordo com as metas previstas: 
Grupo condutor criado
Grupo multiplicador de cada distrito sanitário capacitado
Foram realizadas 53 capacitações correspondente a cada UBS
Em andamento
Descreva em forma de indicadores quantitativos (números, proporções, taxas) os resultados alcançados pela experiência.: 
45.000 idosos beneficiados. Até o momento não temos este dado consolidado.
Existe equipe responsável pelo monitoramento/avaliação da experiência?: 
Sim
Com que frequência se reúne?: 
Quadrimestralmente
Quais os pontos positivos da experiência?: 
Integração da equipe multiprofissional; Valorização e sensibilização da caderneta por profissionais e idosos; Compromisso da equipe de profissionais voltado para atenção à saúde da pessoa idosa; Melhorar a autonomia das pessoas idosas; Despertou interesse da academia com projetos de extensão nessa temática.
Quais as limitações da experiência?: 
Falta de envolvimento de alguns profissionais
2018
-
Nordeste
Um novo olhar do cuidado:Implementando a caderneta de saúde da pessoa idosa

TÍTULO COMPLETO: Um novo olhar do cuidado: implementando a caderneta de saúde da pessoa idosa no município de Natal/RN

INTRODUÇÃO

A partir da capacitação da caderneta de saúde da pessoa idosa, realizada no nosso município pelo INCOR e Ministério da saúde, formamos o grupo condutor com o objetivo de multiplicar esse aprendizado para toda a rede de atenção básica. Várias propostas foram apresentadas, porém queríamos algo que de fato impactasse e sensibilizasse os profissionais e a população idosa/responsáveis. A ideia era que a caderneta de fato, fizesse parte do cuidado no cotidiano das pessoas idosas.

OBJETIVOS

  • O que se esperava modificar ou realizar através da iniciativa?
  • Permitir aprofundar o conhecimento em relação à população idosa cadastrada pela Estratégia Saúde da Família;
  • Permitir o acompanhamento longitudinal da pessoa idosa, por um período de cinco anos;
  • Possibilitar o monitoramento das condições crônicas de saúde e de outros fatores que podem interferir no bem-estar da pessoa idosa;
  • Possibilitar a identificação do idoso frágil, por meio da avaliação multidimensional (clínica, psicossocial e funcional);
  • Alertar o idoso e os profissionais de saúde sobre o uso de medicamentos potencialmente de risco;
  • Fornecer orientações sobre o autocuidado;
  • Auxiliar no manejo da saúde da pessoa idosa, podendo ser usada pelas equipes de saúde, pelos idosos, pelos familiares e pelos cuidadores;
  • Compor o plano de cuidado, que deve ser desenvolvido em conjunto com os profissionais de saúde.

METAS

  • Criar o grupo condutor;
  • capacitar a equipe multiplicadora de cada Distrito sanitário;
  • Implementar a caderneta em cada unidade básica de saúde;
  • Avaliar as ações de implementação.

PÚBLICO-ALVO

Toda pessoa idosa cadastrada na Rede de Atenção Básica.

NÚMERO DE PARTICIPANTES

63000

DIVULGAÇÃO

Por meio dos ACS, visitas domiciliares e divulgação nas UBS.

ATIVIDADES

Após a conclusão do curso com o MS e HCOR marcamos uma reunião com todos os participantes para decidirmos como seria implementada na prática a Caderneta. Várias propostas foram apresentadas, porém queríamos algo que de fato impactasse e sensibilizasse os profissionais e a população idosa/responsáveis. A nossa cidade é administrada e dividida em 5 Distritos Sanitários, dessa forma, enxergamos nos responsáveis pela atenção básica de cada Distrito, um grande aliado para multiplicar esse conhecimento. Assim, convidamos um profissional da própria sede e de cada UBS um ou dois profissionais para serem multiplicadores, dependendo do porte da unidade.

CAPACITAÇÃO COM OS 5 DISTRITOS SANITÁRIOS/REPRESENTANTES DAS UBS - Realizamos em cada distrito uma capacitação com esses profissionais e a proposta seria: capacitarmos multiplicadores que iriam realizar em cada UBS a capacitação em dias e horários previamente definidos. Solicitamos nesse encontro, que cada UBS nos enviasse o número de pessoas idosas cadastradas, para que ao iniciarmos as capacitações, realizarmos a entrega a cada UBS do quantitativo de cadernetas solicitadas. Cada UBS agendou o dia D para realizar a capacitação de implementação.

CAPACITAÇÃO NAS UBS - No dia marcado, todos os profissionais da UBS foram envolvidos, inclusive o pessoal de apoio. Não foi realizado atendimento durante um turno e todos voltaram-se para conhecer a caderneta e sua aplicação. Na oportunidade, além do passo-a-passo para conhecerem a caderneta, foram realizadas dinâmicas, estudos de caso, dentre outras atividades integrando todos os participantes.

ENTREGA DA CADERNETA E SENSIBILIZAÇÃO DA POPULAÇÃO IDOSA E RESPONSÁVEIS - A implementação da caderneta ecoou, trazendo visibilidade para esse instrumento tão precioso para a população idosa. A partir das capacitações com os profissionais, cada UBS iniciou o processo de entrega. Cada unidade com sua maneira de trabalho, seja por meio dos grupos operativos, seja por meio de momentos nas salas de espera das unidades, espaços sociais no território. A ideia era entregar sensibilizando, explicando, mostrando. Nesse momento, contamos com o apoio de estagiários das universidades, alunos das disciplinas de SACI/POTI da UFRN, enfim, outros atores foram se engajando, sempre na perspectiva de um trabalho lúdico e interativo.

OUTRA ESTRATÉGIA - Adotamos também, por meio de Nota Técnica, a Caderneta como cartão oficial de vacina para a população idosa aqui no município, como estratégia de divulgação e objetivando habituar profissionais e população a utiliza-la, tendo sido inclusive matéria veiculada na mídia local. Esperamos que a caderneta se consolide como um instrumento indispensável ao cuidado a pessoa idosa com o apoio da população em geral e de todos os profissionais.

 

EQUIPE

Médico 132 39

Enfermeiro 132 26

Dentista 132 26

Técnico de enfermagem 264 26

Técnico de saúde bucal 132 26

ACS 762

13 Assistente social

01 Psicólogo 01

06 Nutricionista

Auxiliar de farmácia 132 39

Arquivista 132 39

ASG 132 39

Gerentes 132 39

Administrador 132 39

Técnico administrativo 132 39

Estagiários UFRN 20 

TOTAL 2467 402

EQUIPAMENTOS E RECURSOS FINANCEIROS

  • Detalhe os recursos físicos utilizados na realização da experiência
  • Detalhe os recursos financeiros utilizados na realização da experiência, quando houver
  • Notebook;
  • Datashow;
  • Papel oficio;
  • Cartolina;
  • Pillot;
  • Papel madeira;
  • Lanches e lembrancinhas (chocolate, bombons);
  • Lápis e borracha;
  • Som e microfone

Recursos da Secretaria Municipal de Saúde e contribuição voluntária de cada profissional.

RESULTADOS

Hoje há uma preocupação dos profissionais de saúde em preencher a caderneta, principalmente em relação aos usuários acamados e domiciliados, realizada pelos ACS; Adesão e valorização por parte dos idosos à caderneta; Portaria municipal que adotou a caderneta como cartão oficial de vacina para usuários da atenção básica; Trabalho realizado com os novos estagiários para que haja continuidade na implementação da caderneta.

Ficha técnica

Município:
Natal
Instituição Responsável:
Secretaria Municipal de Saúde
Coordenação da experiência:
Núcleo de Saúde do Idoso
Email da coordenação:
saudedoidosonatal@gmail.com
Telefone institucional:
(84) 3232-8008
Categoria da experiência:
Implementação da Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa
Parceiros:

Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa/DAPES/SAS/MS
Telefone: (61) 3315-6226
idoso@saude.gov.br