Ano: 
2018
Categoria: 
Atendimento em grupo com pessoas idosas (grupos terapêuticos, grupos operativos, etc.)
Região da Prática: 
Sudeste
Município: 
São Paulo
Instituição Responsável: 
Prefeitura do Município de São Paulo
Coordenação da experiência: 
Fonoaudióloga Arlene Kely da Silva Condé e Fisioterapeuta Camila Alves Bertolla
Telefone institucional: 
(11) 2013-1723
Email da coordenação: 
ursisaomateus@gmail.com
O que motivou a realização dessa experiência?: 
O alto índice de idosos com queixa de tontura/vertigem, histórico de quedas e consequente diminuição da qualidade de vida.
O que se esperava modificar ou realizar através da iniciativa?: 
Melhora da função vestibular, reduzindo os episódios de quedas, de tontura/vertigem, promovendo o bem estar geral.
Descreva as metas para o desenvolvimento da experiência (de 1 a 4, no maximo): 
Redução da tontura/vertigem
Restauração do equilíbrio postural
Restabelecimento da independência e autonomia nas atividades de vida diária
Promoção do bem estar geral e qualidade vida
Qual o perfil dos idosos envolvidos nessa experiência?: 
Idosos portadores de distúrbios vestibulares.
De que forma a experiência foi divulgada ao público?: 
Através das Avaliações Gerontológicas Globais e consultas nas especialidades.
Onde foi desenvolvida?: 
Na Unidade de Referência à Saúde do Idoso de São Mateus.
Como os idosos foram selecionados para participar?: 
De acordo com a queixa apresentada.
Quantos idosos pretendiam alcançar com essa experiência?: 
35
Quantos idosos participaram da experiência, por ano de atividade?: 
2017- 8 idosos 2018- 26 idosos
Ao final, ou até o momento, quantos idosos participaram da experiência?: 
34
Qual o principal motivo da saída dos idosos nas atividades da experência? Porque deixaram de participar?: 
Por alta clínica por melhora significativa do quadro ou por abandono devido a impossibilidade de um cuidador trazer o idoso.
Descreva detalhadamente como eram as atividades realizadas: 
Após encaminhamento para o grupo terapêutico, na primeira sessão é aplicada anamnese (História da Moléstia Atual, Avaliação Cerebelar e Testes de Equilíbrio) e Protocolo DHI Brasileiro (questionário de elegibilidade para a Reabilitação Vestibular). Idosos com pontuação a partir de 10 pontos no DHI Brasileiro são considerados elegíveis para o grupo terapêutico. São realizadas 6 sessões de intervenção com exercícios do protocolo padronizado de reabilitação vestibular, além de orientações para a realização destes exercícios diariamente em casa e 1 sessão ao final de reavaliação com reaplicação do DHI Brasileiro, onde se verifica a efetividade da intervenção.
Descreva quais as dificuldades encontradas para realização das atividades.: 
Analfabetismo, rodízio de acompanhantes dos idosos, o entendimento do idosos em relação a uma possível piora inicial dos sintomas nas primeiras sessões.
Quais foram os resultados observados depois da implementação?: 
Redução significativa dos quadros de tontura/vertigem, com melhora na execução das atividades de vida diária do idoso, restaurando a independência e autonomia, promovendo o bem estar geral.
Descreva os resultados observados de acordo com as metas previstas: 
Redução da tontura/vertigem
Restauração do equilíbrio postural
Restabelecimento da independência e autonomia nas atividades de vida diária
Promoção do bem estar geral e qualidade vida
Descreva em forma de indicadores quantitativos (números, proporções, taxas) os resultados alcançados pela experiência.: 
Dos idosos que realizaram a intervenção de reabilitação vestibular, 25% tiveram remissão total dos sintomas (100%), 15% teve 75% de melhora nos sintomas, 50% relataram melhora parcial e 10% relataram ligeira melhora dos sintomas.
Existe equipe responsável pelo monitoramento/avaliação da experiência?: 
Sim
Com que frequência se reúne?: 
Semanal
Quais os pontos positivos da experiência?: 
Melhora na qualidade de vida dos idosos comprovada através da aplicação inicial e final do DHI Brasileiro.
Quais as limitações da experiência?: 
Espaço físico inadequado, reduzindo a quantidade de paciente no grupo terapêutico.
2018
-
Sudeste
A Reabilitação Vestibular restabelecendo a qualidade de vida em idosos

TÍTULO COMPLETO: A Reabilitação Vestibular restabelecendo a qualidade de vida em idosos

INTRODUÇÃO

O alto índice de idosos com queixa de tontura/vertigem, histórico de quedas e consequente diminuição da qualidade de vida.

OBJETIVOS

Melhora da função vestibular, reduzindo os episódios de quedas, de tontura/vertigem, promovendo o bem estar geral.

METAS

  • Redução da tontura/vertigem;
  • Restauração do equilíbrio postural;
  • Restabelecimento da independência e autonomia nas atividades de vida diária;
  • Promoção do bem estar geral e qualidade vida.

PÚBLICO-ALVO

Idosos portadores de distúrbios vestibulares.

NÚMERO DE PARTICIPANTES

34

DIVULGAÇÃO

Através das Avaliações Gerontológicas Globais e consultas nas especialidades.

ATIVIDADES

Após encaminhamento para o grupo terapêutico, na primeira sessão é aplicada anamnese (História da Moléstia Atual, Avaliação Cerebelar e Testes de Equilíbrio) e Protocolo DHI Brasileiro (questionário de elegibilidade para a Reabilitação Vestibular). Idosos com pontuação a partir de 10 pontos no DHI Brasileiro são considerados elegíveis para o grupo terapêutico. São realizadas 6 sessões de intervenção com exercícios do protocolo padronizado de reabilitação vestibular, além de orientações para a realização destes exercícios diariamente em casa e 1 sessão ao final de reavaliação com reaplicação do DHI Brasileiro, onde se verifica a efetividade da intervenção.

EQUIPE

01 Fonoaudióloga (aplicar a Avaliação, executar o protocolo de exercícios e orientações, ao final, aplicar a reavaliação).

01 Fisioterapeuta (aplicar a Avaliação, executar o protocolo de exercícios e orientações, ao final, aplicar a reavaliação).

EQUIPAMENTOS E RECURSOS FINANCEIROS

Consultório médico com maca, mesa e cadeiras. A avaliação vestibular e Protocolo de DHI Brasileiro, cone, bola, fita métrica e corredor para treino de marcha.

RESULTADOS

Redução significativa dos quadros de tontura/vertigem, com melhora na execução das atividades de vida diária do idoso, restaurando a independência e autonomia, promovendo o bem estar geral.

Ficha técnica

Município:
São Paulo
Instituição Responsável:
Prefeitura do Município de São Paulo
Coordenação da experiência:
Fonoaudióloga Arlene Kely da Silva Condé e Fisioterapeuta Camila Alves Bertolla
Email da coordenação:
ursisaomateus@gmail.com
Telefone institucional:
(11) 2013-1723
Categoria da experiência:
Atendimento em grupo com pessoas idosas (grupos terapêuticos, grupos operativos, etc.)
Parceiros:

Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa/DAPES/SAS/MS
Telefone: (61) 3315-6226
idoso@saude.gov.br