2017
-
Centro-Oeste
Implementação Do Apoio Matricial Ao Paciente Idoso Oncológico

TÍTULO COMPLETO: Implementação Do Apoio Matricial Ao Paciente Idoso Oncológico Pelo Serviço De Atenção Domiciliar-SAD Do Hospital De Câncer De Campo Grande-MS

INTRODUÇÃO

Com o elevado número de pacientes idosos realizando tratamento de Câncer no Hospital de Câncer de Campo Grande-MS Alfredo Abrão, a equipe tem buscado aperfeiçoamento e parcerias para proporcionar atendimento com qualidade e humanização a estes pacientes. Entre os desafios apresentados estão a qualificação do cuidado, associada à necessidade de adotar modos eficientes de utilizar os escassos recursos, o anseio de inovações produtoras de integralidade na atenção oncológica, a diversificação das tecnologias de saúde e a articulação da prática dos diferentes profissionais e esferas da assistência ao idoso oncológico. Até o momento, 600 idosos participaram da experiência.

OBJETIVOS

  • Transformar práticas assistenciais e psicossociais no atendimento ao paciente idoso oncológico no Serviço domiciliar através da utilização de tecnologias leves do cuidado.
  • Descrever a importância de um acompanhamento sistemático ao idoso do Serviço de Atenção Domiciliar.
  • Destacar a necessidade de programas específicos de assistência ao idoso
  • Apresentar a importância, impacto e influências do vínculo paciente - cuidadores –equipe
  • Proporcionar de forma efetiva uma melhoria na qualidade de vida dos pacientes idosos atendidos no Serviço de Atenção Domiciliar/SAD
  • Garantir que o paciente oncológico, idoso, receba atenção holística a partir da interdisciplinaridade e da participação efetiva das mais diferentes áreas do saber em saúde
  • Propor parcerias internas e externas em um atendimento em rede, quando esse tema ainda se fortalece nos serviços de saúde
  • Promover melhorias reais na construção de formas sociais de tratar e cuidar com redução da demanda por atendimento hospitalar.

PÚBLICO-ALVO

Pacientes idosos (60 anos e mais) inseridos na Atenção domiciliar especializada em Oncologia (SAD).

 

DIVULGAÇÃO

A experiência foi divulgada a partir da inserção do paciente oncológico no Serviço de Atenção Domiciliar (SAD).

ATIVIDADES

  • Observação da realidade do paciente em seu domicílio, ambiência e condições socioeconômicas e relações pessoais intrafamiliares.
  • Desenvolvimento de ações de orientação, educação, levantamento para possíveis soluções de saúde, fornecimento de subsídios educativos, para que os idosos atendidos tenham condições de se tornar mais independentes
  • Identificação de indivíduos frágeis, com comprometimento fisiológico, baixa tolerância ao tratamento oncológico, resistentes quanto aos procedimentos inerentes à quimioterapia, ansiosos e desanimados acerca do prognóstico e em sofrimento físico e mental.
  • Identificação e solução de problemas dos idosos cuidados através de esclarecimentos sobre a doença e/ou tratamento, disponibilização de apoio emocional, realização de atendimentos na própria residência - como coleta de sangue para exames clínicos, troca de sonda vesical de demora, sondas nasoenteral, troca de jejunostomia, gastrostomia, realização de paracentese, administração de hidratação e medicações parenterais - pensando em diminuir as idas e vindas dos pacientes e cuidadores ao hospital,.
  • Implementação de estratégias de educação permanente para os cuidadores e a sensibilização destes a fim de melhor atender o idoso em tratamento oncológico, minimizando seu sofrimento através da realização de reunião mensal com os cuidadores.
  • Disponibilização da cartilha para o cuidador com informações de cuidados com dietas parenterais, cuidados com a pele em caso de pacientes acamados.
  • Realização de reuniões mensais entre a equipe do SAD e as equipes ESF para compartilhar conhecimento acerca do tratamento oncológico, para trocar informações do paciente, garantindo que quando o paciente tenha alta do SAD continuará sendo cuidado pela Estratégia da saúde da família de sua região.

RESULTADOS

A ação vem contribuindo na integralidade do cuidado e melhoria da qualidade de vida de idosos com câncer em situação de fragilidade no momento do tratamento. No ano de 2017 de janeiro a junho foram inseridos no SAD vinte e sete idosos do sexo masculino e 18 do sexo feminino. Observa-se que o atendimento domiciliar reduz a possibilidade de hospitalização do idoso num estágio avançado, diminuindo risco de infecção, proporcionando ambiente adequado para o seu bem estar no conforto do seu lar e com os entes queridos, facilitando assim a abordagem dos cuidados paliativos na terminalidade, possibilitando que o paciente idoso seja visto e atendido como ser integral e com direitos, desejos e necessidades individuais, levando em consideração os significados que ele atribuiu à vida. Destaca-se o aumento da qualidade de vida e autonomia dos idosos minimizando os efeitos das incapacidades ou doenças, incluindo aquelas sem perspectiva de cura, a partir da implantação do serviço de atendimento domiciliar, onde são oferecidos ao indivíduo e sua família em suas residências, maximizando os níveis de independência.

Ficha técnica


Município: 
Campo Grande

Instituição Responsável: 
Hospital de Câncer de Campo Grande-MS Alfredo Abrão


Parceiros: 
Serviço de Atenção Domiciliar/SAD

Coordenação da experiência: 
Regina Aparecida Pereira Mazzi

Email da coordenação: 

Telefone institucional: 
6730416000



Categoria da Experiência: 
Matriciamento das equipes da atenção básica sobre as especificidades de saúde da pessoa idosa, elaboração de Projeto Terapêutico Singular-PTS...)

Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa/DAPES/SAS/MS
Telefone: (61) 3315-6226
idoso@saude.gov.br