Ano: 
2018
Categoria: 
Atenção à saúde da pessoa idosa no ambiente domiciliar
Região da Prática: 
Sul
Município: 
Curitiba
Instituição Responsável: 
Fundação Estatal de Atenção Especializada de Saúde de Curitiba (FEAES) / Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba
Coordenação da experiência: 
Clovis Cechinel e Mariana Lous
Telefone institucional: 
(41) 3316-5961
Email da coordenação: 
cechinelc@hotmail.com
Qual a esfera da experiência?: 
Grupo B - Municípios
O que motivou a realização dessa experiência?: 
A necessidade de tratar os idosos no local mais adequado suscitou o desenvolvimento desta experiência no serviço de atenção domiciliar. Uma das características do envelhecimento é sua heterogeneidade, apresentando-se com necessidades complexas, relacionadas a múltiplas doenças que ocorrem simultaneamente e que causam dependência crescente em vários níveis e aumentam a suscetibilidade do idosos a quadros infecciosos. Pensado no tratamento do idosos de acordo com a sua complexidade, criou-se o Programa de gerenciamento da TERAPIA ANTIMICROBIANA PARENTERAL AMBULATORIAL (OUTPATIENT PARENTERAL ANTIMICROBIAL THERAPY - OPAT) focando com dois públicos diferenciados.
O que se esperava modificar ou realizar através da iniciativa?: 
A administração de antimicrobianos em domicílio de uma forma eficiente e segura, favorece a desospitalização, a redução de infecções relacionadas à assistência à saúde e consequentemente os custos da assistência. Além de realizar os antimicrobianos prescritos o programa de gerenciamento de uso de antimicrobianos nos serviços de terapia parenteral ambulatorial (Outpatient Parenteral Antimicrobial Therapy – OPAT) adota medidas para monitorar e combater a resitência bacteriana. Ao diminuir a necessidade e o tempo de internação dos pacientes, a OPAT também tem demonstrado impacto na redução dos índices de infecção associada à assistência à saúde.
Descreva as metas para o desenvolvimento da experiência (de 1 a 4, no maximo): 
Inclusão de 100 idosos/mês no Programa para Antibiótico
Redução dos índices de infeção associada a assistência a saúde
Gerenciamento de bactérias multiressistentes
Qual o perfil dos idosos envolvidos nessa experiência?: 
Idosos (idade >60 anos), com quadros infecciosos passíveis de tratamento no domicílio, que necessitem de tratamento com antimicrobianos injetáveis e que tenham condições clinicas para que o tratamento seja efetuado em casa.
De que forma a experiência foi divulgada ao público?: 
Houve uma divulgação do serviço OPAT para toda Rede de Assistência a Saúde do Município, sendo o foco principal de atuação nas UPAS e na rede hospitalar credenciada.
Onde foi desenvolvida?: 
Casa de Curitiba, contemplando todo o Municipio. O SAD Curitiba apresenta 10 Equipes Multiprofisisonais de Atenção Domiciliar (EMAD), que atenderam de janeiro a agosto de 2018, aproximadamente 500 pacientes/mês, sendo crescente o número de quadros infecciosos, o que fez crescer a necessidade do desenvolvimento de novos protocolos e novas ações que permitam o gerenciamento eficaz do uso racional dos antimicrobianos utilizados pelos pacientes no domicílio.
Como os idosos foram selecionados para participar?: 
O médico do SAD, atendendo a solicitação dos serviços solicitantes, avalia se o idoso apresenta estabilidade clínica e se tem necessidade de uso do antimicrobiano. Se preenche critérios será admitido.
Quantos idosos pretendiam alcançar com essa experiência?: 
1000
Quantos idosos participaram da experiência, por ano de atividade?: 
Após a Instituição do Programa, foram organizados os fluxos e a forma de gerenciamento de antimicrobianos no serviço sendo atendidos de maio a agosto de 2018 317 idosos. A meta inicialmente proposta foi de 100 idosos/mês. No primeiro quadrimestre do programa foram atendidos 317 idosos, logo por ano a expectativa seja de que mais de 1000 idosos sejam acompanhados.
Ao final, ou até o momento, quantos idosos participaram da experiência?: 
317
Qual o principal motivo da saída dos idosos nas atividades da experência? Porque deixaram de participar?: 
O tempo médio de seguimento dos pacientes no programa é de 45 dias. Após o término do tratamento com antibiótico e do cumprimento do Plano terapêutico Singular (PTS) o idoso, se apresentar melhora clínica é encaminhado a Atenção Primária para continuidade do acompanhamento. Idosos que apresentaram piora clínica com necessidade re-internamento ou que foram a óbito também deixaram o programa.
Descreva detalhadamente como eram as atividades realizadas: 
serviço solicitante e se preencherem critérios de inclusão são direcionados para o domicilio para admissão no dia subsequente. A admissão do paciente é realizada pelo médico da Emad da área onde reside o paciente. Na sequência, é feita a prescrição do antimicrobiano no sistema do SAD, com avaliação da adequação da mesma pelo serviço de Farmácia Clínica. A partir desde momento até a alta o paciente é monitorado no que diz respeito a sua evolução clínica, uso adequado do medicamento, possíveis reações adversas, mudanças de condutas, dentre outros aspectos. A partir dos dados obtidos em prontuário, são desenvolvidos os indicadores mensais.
Descreva quais as dificuldades encontradas para realização das atividades.: 
Questões logísticas devido a grande extensão do município e a dificuldade de acesso a algumas regiões devido os aspectos relacionados a violência urbana.
Quais foram os resultados observados depois da implementação?: 
Melhora do acesso dos idosos com maior complexidade ao ambiente hospitalar, visto aumento da disponibilidade de leitos. Acompanhamento do idoso, com possibilidade de tratamento domiciliar em local mais adequado com consequente melhora da qualidade de vida. Monitoramento de 100 % dos pacientes idosos em tratamento com antimicrobianos. Adequação do tempo de tratamento das infecções, afim de não favorecer o desenvolvimento de resistência bacteriana aos antimicrobianos. Obtenção de desfechos clínicos mais favoráveis. Redução de custos na rede de atenção à saúde do município.
Descreva os resultados observados de acordo com as metas previstas: 
Diminuição do tempo de internamento de idosos e não internamento hospitalar de idosos estáveis, com possibilidade de tratamento em domicilio.
Obtenção de melhores desfechos clínicos com aumento da qualidade de vida dos idosos
Adequação dos tratamentos antimicrobianos e gerenciamento de resistência microbiana em idosos
Redução de custos na rede de atenção a saúde
Descreva em forma de indicadores quantitativos (números, proporções, taxas) os resultados alcançados pela experiência.: 
distritos do município de Curitiba. Sendo administrado 1310 doses parenterais de antimicrobianos, disponibilizando para a rede 323 leitos hospitalares. Quanto ao local de internamento, 82,50% do pacientes eram originários das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) enquanto que 17,50% deles vieram dos hospitais que compõem à rede. O tempo médio do tratamento com antimicrobianos na atenção domiciliar foi de 5,68 dias (variando de 1 a 90 dias), com eficácia terapêutica 73,23%. Entende-se por eficácia terapêutica, os tratamentos sem recidiva de infecção nos trinta dias subsequentes, ausência de novos internamentos por infecção ou óbito no período. As vias de administração parenterais mais utilizadas foram a endovenosa em 78% dos pacientes, seguida pelas vias Intramuscular (21%) e hipodermóclise (1%). Os antimicrobianos mais utilizados foram ceftriaxona 72,51% seguidos pelo cefepime 7,35%. Os sítios infecciosos mais prevalentes foram pulmonar 47,01% e urinário 32,03%. Os desfechos clínicos obtidos foram: alta melhorado em 33,85% dos casos, permanência no programa – com melhora do quadro infeccioso 47,89%, necessidade de internamento 11,94% e óbito 6.32%.
Existe equipe responsável pelo monitoramento/avaliação da experiência?: 
Sim
Com que frequência se reúne?: 
Mensalmente os dados são repassados para as equipes assistenciais, sendo que o gerenciamento dos casos e a discussão das prescrições ocorrem diariamente.
Quais os pontos positivos da experiência?: 
proporcionando mais conforto, privacidade, benefícios psicológicos e nutricionais, diminui o risco de adquirir infeções hospitalares, antecipa a volta do idoso às suas atividades habituais Melhora o perfil de microbiota dos hospitais Proporciona economia à rede de assistência a saúde, otimizando os leitos hospitalares, através da desospitalização precoce e/ou não hospitalização Melhora da qualidade de vida dos pacientes.
Quais as limitações da experiência?: 
Limitação logistica nos finais de semana, devido a diminuição de carros. Atualmente o Programa pode realizar no máximo 18 antimicrobianos nos finais de semana.
2018
-
Sul
Terapia antimicrobiana parenteral ambulatorial em idosos num serviço de atendimento domiciliar

TÍTULO COMPLETO: Terapia antimicrobiana parenteral ambulatorial (Outpatient Parenteral Antimicrobial Therapy – OPAT) em idosos num serviço de atendimento domiciliar

INTRODUÇÃO

A necessidade de tratar os idosos no local mais adequado suscitou o desenvolvimento desta experiência no serviço de atenção domiciliar. Uma das características do envelhecimento é sua heterogeneidade, apresentando-se com necessidades complexas, relacionadas a múltiplas doenças que ocorrem simultaneamente e que causam dependência crescente em vários níveis e aumentam a suscetibilidade dos idosos a quadros infecciosos. Pensado no tratamento do idosos de acordo com a sua complexidade, criou-se o Programa de gerenciamento da TERAPIA ANTIMICROBIANA PARENTERAL AMBULATORIAL (OUTPATIENT PARENTERAL ANTIMICROBIAL THERAPY - OPAT) focando com dois públicos diferenciados.

OBJETIVOS

A administração de antimicrobianos em domicílio de uma forma eficiente e segura, favorece a desospitalização, a redução de infecções relacionadas à assistência à saúde e consequentemente os custos da assistência. Além de realizar os antimicrobianos prescritos o programa de gerenciamento de uso de antimicrobianos nos serviços de terapia parenteral ambulatorial (Outpatient Parenteral Antimicrobial Therapy – OPAT) adota medidas para monitorar e combater a resitência bacteriana. Ao diminuir a necessidade e o tempo de internação dos pacientes, a OPAT também tem demonstrado impacto na redução dos índices de infecção associada à assistência à saúde.

METAS

  • Inclusão de 100 idosos/mês no Programa para Antibiótico;
  • Redução dos índices de infeção associada a assistência à saúde;
  • Gerenciamento de bactérias multirresistentes.

PÚBLICO-ALVO

Idosos (idade >60 anos), com quadros infecciosos passíveis de tratamento no domicílio, que necessitem de tratamento com antimicrobianos injetáveis e que tenham condições clinicas para que o tratamento seja efetuado em casa.

NÚMERO DE PARTICIPANTES

1000

DIVULGAÇÃO

Houve uma divulgação do serviço OPAT para toda Rede de Assistência a Saúde do Município, sendo o foco principal de atuação nas UPAS e na rede hospitalar credenciada.

ATIVIDADES

Serviço solicitante e se preencherem critérios de inclusão são direcionados para o domicilio para admissão no dia subsequente. A admissão do paciente é realizada pelo médico da Emad da área onde reside o paciente. Na sequência, é feita a prescrição do antimicrobiano no sistema do SAD, com avaliação da adequação da mesma pelo serviço de Farmácia Clínica. A partir desde momento até a alta o paciente é monitorado no que diz respeito a sua evolução clínica, uso adequado do medicamento, possíveis reações adversas, mudanças de condutas, dentre outros aspectos. A partir dos dados obtidos em prontuário, são desenvolvidos os indicadores mensais. Para execução dessa atividade temos 10 Equipes Multiprofissionais responsáveis por prestar Atenção Domiciliar (EMAD) e 3 Equipes Multiprofissionais responsáveis por apoiar a EMAD (EMAP) distribuídas geograficamente nos Distritos Sanitários do Município.

EQUIPE

02 Médicos (20 horas semanais);

01 Enfermeiro (36 horas semanais);

01 Fisioterapeuta (30 horas semanais);

04 Técnicos de Enfermagem (36 horas semanais);

Assistentes sociais (30 horas semanais);

Farmacêutico clínico (36 horas semanais);

Nutricionistas (40 horas semanais);

Fonoaudiólogo (36 horas semanais). O serviço conta com 11 carros para o deslocamento das equipes.

EQUIPAMENTOS E RECURSOS FINANCEIROS

  • 01 quadro (para melhor visualização dos antimicrobianos, a serem administrados diariamente, para facilitar a organização da logística);
  • 01 computador (para acesso ao sistema de prescrição médica e evoluções/ histórico dos pacientes);
  • Fichas impressas (para o preenchimento da investigação das infeções e fichas de controle dos antibióticos que são dispensados mensalmente pelo programa).

O desenvolvimento de tal iniciativa não aumentou substancialmente os custos operacionais fixos com a equipe de atenção domiciliar, apenas trouxe um olhar diferenciado no cuidado.

RESULTADOS

Melhora do acesso dos idosos com maior complexidade ao ambiente hospitalar, visto aumento da disponibilidade de leitos. Acompanhamento do idoso, com possibilidade de tratamento domiciliar em local mais adequado com consequente melhora da qualidade de vida. Monitoramento de 100 % dos pacientes idosos em tratamento com antimicrobianos. Adequação do tempo de tratamento das infecções, afim de não favorecer o desenvolvimento de resistência bacteriana aos antimicrobianos. Obtenção de desfechos clínicos mais favoráveis. Redução de custos na rede de atenção à saúde do município.

Ficha técnica

Município:
Curitiba
Instituição Responsável:
Fundação Estatal de Atenção Especializada de Saúde de Curitiba (FEAES) / Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba
Coordenação da experiência:
Clovis Cechinel e Mariana Lous
Email da coordenação:
cechinelc@hotmail.com
Telefone institucional:
(41) 3316-5961
Categoria da experiência:
Atenção à saúde da pessoa idosa no ambiente domiciliar

Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa/DAPES/SAS/MS
Telefone: (61) 3315-6226
idoso@saude.gov.br