Ano: 
2019
Categoria: 
Promoção da saúde da pessoa idosa (práticas corporais e atividades físicas, alimentação e nutrição, experiências inovadoras de educação em saúde etc.)
Região da Prática: 
Centro-Oeste
Município: 
Brasília
Instituição Responsável: 
Secretaria de Saúde do Distrito Federal
Parceiros: 
Centro Universitário Euro Americano de Brasília
Coordenação da experiência: 
Hudson Azevedo Pinheiro
Telefone institucional: 
(61) 9819-50550
Email da coordenação: 
hudsonap@gmail.com
Qual a esfera da experiência?: 
Grupo A - Estados
O que motivou a realização dessa experiência?: 
A grande procura de pacientes com diagnóstico de doença de Parkinson na presente Unidade de saúde. Trata-se de usuários que necessitam de alguma abordagem motora como parte não-farmacológica do seu tratamento, e que muitas vezes apenas se mantem ativos quando vinculados a ida regular a algum serviço. Ainda, a possibilidade de inclusão, uma vez que os seus cuidadores/ familiares são também inseridos na terapêutica.
O que se esperava modificar ou realizar através da iniciativa?: 
Esperava-se ganhar melhor mobilidade em coluna vertebral, principalmente na torácica, além de assegurar a dissociação de cinturas, necessária para as transferências e marcha.
Descreva as metas para o desenvolvimento da experiência (de 1 a 4, no maximo): 
melhorar mobilidade global dos pacientes com doença de Parkinson;
estimular a adesão terapêutica por meio da inclusão dos cuidadores familiares ao processo
melhorar a percepção do estado geral de saúde dos usuários com doença de Parkinson sobretudo sobre a funcionalidade
contribuir para a manutenção de atividades não-farmacológica em domicílio utilizando elementos da música, dança e movimento.
Qual o perfil dos idosos envolvidos nessa experiência?: 
idosos com diagnóstico clínico de Doença de Parkinson, em estágio moderado (estágios III e IV da escala de Hoehn e Yahr modificada).
De que forma a experiência foi divulgada ao público?: 
No próprio ambulatório de geriatria e gerontologia
Onde foi desenvolvida?: 
A experiência têm ocorrido as terças-feiras das 14 às 15:30h no setor de fisioterapia da Policlínica de Taguatinga, situada a 25 Km do centro de Brasília-DF. Os usuários atendidos são oriundos da região sudoeste (macro região formada pelas regiões administrativas de Taguatinga, Samambaia e Recanto das Emas).
Como os idosos foram selecionados para participar?: 
Idosos que já participaram de alguma modalidade de reabilitação motora na Policlínica de Taguatinga (fisioterapia e/ou Terapia ocupacional) por pelo menos 6 meses.
Quantos idosos pretendiam alcançar com essa experiência?: 
10
Quantos idosos participaram da experiência, por ano de atividade?: 
O projeto iniciou-se em março de 2019 após os dirigentes d grupo terem feito a capacitação em dança sênior, e a previsão inicial era atingir 6 famílias (idosos com Parkinson e seus respectivos cuidadores); Ao longo das semanas a adesão foi aumentando, houveram novos interesses e o grupo atualmente conta com 12 pacientes inscritos e suas respectivas famílias. A proposta no segundo semestre é quantificar, por meio de instrumentos validados, ganhos na independência funcional e risco de quedas para os idosos, além de aspectos relacionados a depressão e sobrecarga, inclusiva nos cuidadores.
Ao final, ou até o momento, quantos idosos participaram da experiência?: 
12
Qual o principal motivo da saída dos idosos nas atividades da experência? Porque deixaram de participar?: 
Houve a saída de uma idosa na experiência, por se tratar de uma usuária com déficit auditivo severo.
Descreva detalhadamente como eram as atividades realizadas: 
1- mensuração de PA. 2- entrada na sala de atendimentos e sentar o idoso em uma cadeira ao lado de seu acompanhanete. Tomava-se o cuidado de alternar um idoso com Parkinson e um cuidador para garantir segurança à prática. 3- ensino, demonstração e realização de coreografia da dança sênior, nesse semestre utilizou-se "boas vindas", "valsa sentada", valsa mexicana", "sete pulos" e finalizou-se com "suspiro". 4- entre as coreografias havia espaço para pautas trazidas pelos usuários 910 minutos) sobre algum assunto de seus interesses, e caso houvesse alguma demanda muito específica, esta era abordada após o grupo individualmente.
Descreva quais as dificuldades encontradas para realização das atividades.: 
Espaço físico para alocar mais de 20 pessoas durante a atividade.
Quais foram os resultados observados depois da implementação?: 
Melhor adesão terapêutica, visível principalmente em um idoso que antes era muito resistente quanto ao uso das próprias medicações. Observamos ainda cuidadores mais participativos, e a construção de uma rede de apoio por parte dos cuidadores . Observamos maior estabilidade durante a marcha, e não foi documentado nenhum episódio de quedas durante a experiência
Descreva os resultados observados de acordo com as metas previstas: 
melhoras na estabilidade e marcha
maior participação dos cuidadores no processo
melhora na independência para as AVD
Descreva em forma de indicadores quantitativos (números, proporções, taxas) os resultados alcançados pela experiência.: 
Se beneficiaram 10 idosos e seus respectivos cuidadores; foram realizados 12 atendimentos (1x por semana); Não observou-se quedas durante o processo;
Existe equipe responsável pelo monitoramento/avaliação da experiência?: 
Sim
Com que frequência se reúne?: 
1x por semana
2019
-
Centro-Oeste
Dançando com o Parkinson
Introdução
A grande procura de pacientes com diagnóstico de doença de Parkinson na presente Unidade de saúde. Trata-se de usuários que necessitam de alguma abordagem motora como parte não-farmacológica do seu tratamento, e que muitas vezes apenas se mantem ativos quando vinculados a ida regular a algum serviço. Ainda, a possibilidade de inclusão, uma vez que os seus cuidadores/ familiares são também inseridos na terapêutica.
Objetivos
Esperava-se ganhar melhor mobilidade em coluna vertebral, principalmente na torácica, além de assegurar a dissociação de cinturas, necessária para as transferências e marcha.
Metas
  1. melhorar mobilidade global dos pacientes com doença de Parkinson;
  2. estimular a adesão terapêutica por meio da inclusão dos cuidadores familiares ao processo
  3. melhorar a percepção do estado geral de saúde dos usuários com doença de Parkinson sobretudo sobre a funcionalidade
  4. contribuir para a manutenção de atividades não-farmacológica em domicílio utilizando elementos da música, dança e movimento.
Público alvo
idosos com diagnóstico clínico de Doença de Parkinson, em estágio moderado (estágios III e IV da escala de Hoehn e Yahr modificada).
Divulgação
No próprio ambulatório de geriatria e gerontologia
Número de participantes
12
Atividades
1- mensuração de PA. 2- entrada na sala de atendimentos e sentar o idoso em uma cadeira ao lado de seu acompanhanete. Tomava-se o cuidado de alternar um idoso com Parkinson e um cuidador para garantir segurança à prática. 3- ensino, demonstração e realização de coreografia da dança sênior, nesse semestre utilizou-se "boas vindas", "valsa sentada", valsa mexicana", "sete pulos" e finalizou-se com "suspiro". 4- entre as coreografias havia espaço para pautas trazidas pelos usuários 910 minutos) sobre algum assunto de seus interesses, e caso houvesse alguma demanda muito específica, esta era abordada após o grupo individualmente.
Resultados
Melhor adesão terapêutica, visível principalmente em um idoso que antes era muito resistente quanto ao uso das próprias medicações. Observamos ainda cuidadores mais participativos, e a construção de uma rede de apoio por parte dos cuidadores . Observamos maior estabilidade durante a marcha, e não foi documentado nenhum episódio de quedas durante a experiência

Ficha técnica

Município:
Brasília
Instituição Responsável:
Secretaria de Saúde do Distrito Federal
Coordenação da experiência:
Hudson Azevedo Pinheiro
Email da coordenação:
hudsonap@gmail.com
Telefone institucional:
(61) 9819-50550
Esfera da experiência:
Grupo A - Estados
Categoria da experiência:
Promoção da saúde da pessoa idosa (práticas corporais e atividades físicas, alimentação e nutrição, experiências inovadoras de educação em saúde etc.)
Parceiros:
Centro Universitário Euro Americano de Brasília
Fotos:

Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa/DAPES/SAS/MS
Telefone: (61) 3315-6226
idoso@saude.gov.br