2013
-
Sudeste
Apoio transformador
Programa Acompanhante de Idosos da Secretaria de Saúde da Cidade de São Paulo

O Programa Acompanhante de Idosos (PAI) é uma modalidade de cuidado domiciliar biopsicossocial para pessoas idosas em situação de fragilidade clínica e vulnerabilidade social. O projeto, custeado pela Secretaria de Saúde da Cidade de São Paulo, teve início em 2004, na região do bairro Santa Cecília. Foram firmadas diversas parcerias, tais como as experiências de capacitação de acompanhantes de idosos realizadas com a UNIFESP e a atuação de participantes dos programas "Começar de Novo" e "Anjos Urbanos". Destaca-se que apesar das diferenças socioeconômicas entre os idosos no município de São Paulo, problemas como o isolamento social e a falta de cuidados adequados são semelhantes.

Os objetivos do projeto incluem oferecer acompanhamento domiciliar e apoio às atividades de vida diária desenvolvendo ações de cuidado e suporte aos idosos em situação de dependência; ações de cuidado e suporte aos familiares e/ou cuidadores; promoção da autonomia e independência; integração social; ampliação do acesso aos serviços de saúde; melhoria da qualidade de vida e, pelo somatório de todos esses fatores, busca evitar ou postergar a institucionalização. Os critérios de inclusão são: idade igual ou superior a 60 anos; dependência funcional para as AVD’s, decorrente ou não de agravos à saúde; mobilidade reduzida; dificuldade de acesso aos serviços de saúde; insuficiência no suporte familiar ou social; isolamento ou exclusão social; risco de institucionalização e residência na área de abrangência.

As atividades são definidas em um Plano de Cuidados e incluem auxílio nas atividades domésticas (internas ou externas); acompanhamento a consultas e a atividades de reabilitação; inserção e integração na rede de saúde; construção e fortalecimento da rede de proteção social; campanhas de vacinação; organização e supervisão da medicação e estimulação cognitiva; acompanhamento em atividades sociais e atividades externas como visitas a amigos e vizinhos, entre outros. A equipe também passa por ações e atividades como educação permanente e treinamentos; palestras sobre diversos temas como patologias; prevenção e promoção da saúde; autonomia e independência, alimentação; higienização; sexualidade, discussão de casos, dentre outros.

Em 2013, o PAI contava com 22 equipes, distribuídas em todas as regiões da cidade de São Paulo. Esta é uma importante opção de atendimento aos idosos em situação de fragilidade, pois rompe a exclusão em que esses indivíduos se encontram, melhora a autoestima e o autocuidado, agiliza diagnósticos e condutas, melhora a saúde e aumenta a autonomia, entre outros benefícios. Por tudo isso, o projeto tem se revelado como estratégia valiosa no campo da saúde, na garantia de acesso, equidade e atenção integral.

Ficha técnica


Município: 
São Paulo, SP

Instituição Responsável: 
Secretaria de Saúde da Cidade de São Paulo

Parceiros: 
Associação Saúde da Família, Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto e Superintendência de Atenção à Saúde do Serviço Social da Construção Civil

Coordenador da experiência: 
Sérgio Márcio Pacheco Paschoal e Sandra Cristina Coelho Teixeira

Email da coordenação: 

Telefone institucional: 
(11) 3397-2228

Beneficiados: 
2.346 pessoas idosas


Categoria da experiência: 
Atividades do setor Saúde indutoras da participação social da pessoa idosa (grupos de convivência; atividades culturais, artísticas, de recreação e lazer; ações intergeracionais; atividades que estimulem a participação na vida comunitária e cidadã; contro

Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa/DAPES/SAS/MS
Telefone: (61) 3315-6226
idoso@saude.gov.br