Ano: 
2018
Categoria: 
Atenção à saúde da pessoa idosa no ambiente domiciliar
Região da Prática: 
Nordeste
Município: 
ABARÉ
Instituição Responsável: 
SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE ABARÉ
Parceiros: 
NASF, CONSELHO LOCAL DE SAÚDE
Coordenação da experiência: 
ESF SÃO FRANCISCO
Telefone institucional: 
(75) 3287-2387
Email da coordenação: 
atbasica.abare@gmail.com
O que motivou a realização dessa experiência?: 
O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO COM IDOSOS HIPERTENSOS NA ZONA RURAL SURGIU PÓS UM DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DA COMUNIDADE ADSCRITA NA ESF, DURANTE O DIAGNÓSTICO OBSERVOU-SE QUE DEVIDO A LONGA DISTÂNCIA DAS AGROVILAS E FAZENDAS ATÉ A UNIDADE DE SAÚDE MUITOS IDOSOS POR FALTA DE TRANSPORTE NÃO COMPARECIAM AS CONSULTAS DE ACOMPANHAMENTO E TRATAMENTO DE HAS NEM AS ATIVIDADES EDUCATIVAS REALIZADAS NA UNIDADE, ENTENDENDO QUE A HAS É UMA DOENÇA QUE PODE DESENCADEAR PROBLEMAS GRAVES SE NÃO TRATADA ADEQUADAMENTE RESOLVEMOS IR AO ENCONTRO DESTE IDOSOS NA COMUNIDADE E/OU DENTRO DE SEU DOMICILIO.
O que se esperava modificar ou realizar através da iniciativa?: 
A EQUIPE DE SAÚDE DA UNIDADE, POR MEIO DESTA AÇÃO PROCUROU SE APROXIMAR DO COTIDIANO DOS IDOSOS HIPERTENSOS, BUSCANDO COMPREENDER DE QUE FORMA PODERIA ESTÁ CAPTANDO ESTES IDOSOS PARA QUE PUDESSEM SER ACOMPANHADOS TRATADOS NA PRÓPRIA LOCALIDADE, JÁ QUE POSSUEM DIFICULDADES DE TRANSPORTE PARA SUA LOCOMOÇÃO A UNIDADE DE SAÚDE, E A PARTIR DESDE ENCONTRO ENTRE A EQUIPE DA UNIDADE E ESTE PÚBLICO DESENVOLVER ATIVIDADES DINÂMICAS E LÚDICAS PARA EDUCAR O IDOSO E SUA FAMÍLIA PARA ALCANÇAR METAS DE SAÚDE, PROPORCIONANDO UMA ASSISTÊNCIA MAIS HUMANIZADA E INTEGRAL QUE COLABORA NA MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DO PACIENTE.
Descreva as metas para o desenvolvimento da experiência (de 1 a 4, no maximo): 
ASSISTIR OS IDOSOS HIPERTENSOS NA COMUNIDADE ONDE RESIDE E/OU NO DOMICILIO
GARANTIR O DESENVOLVIMENTO AÇÕES EDUCATIVAS EM CONJUNTO COM O NASF
DETECTAR GRAU DE DEPENDÊNCIA DE ATIVIDADES DA VIDA DIÁRIA DOS IDOSOS E INCENTIVAR REABILITAÇÃO O MAIS PRECOCEMENTE POSSÍVEL
Qual o perfil dos idosos envolvidos nessa experiência?: 
PARTICIPAM DA EXPERIÊNCIA IDOSOS AGRICULTORES HIPERTENSOS DE AMBOS OS SEXOS DA ZONA RURAL DE ABARÉ NA BAHIA
De que forma a experiência foi divulgada ao público?: 
A EXPERIÊNCIA FOI E É DIVULGADA PORTA PORTA PELO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE E COM AVISOS NO CONSELHO LOCAL DE SAÚDE
Onde foi desenvolvida?: 
A EXPERIÊNCIA ESTÁ SENDO REALIZADA NO MUNICÍPIO DE ABARÉ QUE ESTÁ LOCALIZADO NA MESORREGIÃO DO VALE DO SÃO FRANCISCO E MICRORREGIÃO DE PAULO AFONSO PERTENCE AO NÚCLEO REGIONAL DE SAÚDE JUAZEIRO. LOCALIZE-SE A 550 KM DA CAPITAL SALVADOR. O MUNICÍPIO DE ABARÉ COMPREENDE UMA ÁREA DE 1.693,69 KM² E É FORMADO PELOS DISTRITOS SEDE, IBÓ, OS POVOADOS DE PAMBU E ICOZEIRA, ALÉM DAS COMUNIDADES LAGOA DE JOSÉ ALVES, AROEIRA, UMBUZEIRO E AS AGROVILAS DO PROJETO PEDRA BRANCA. POSSUI CLIMA SEMI-ÁRIDO E A ECONOMIA DO MUNICÍPIO É BASEADA NA AGRICULTURA E PECUÁRIA. DE ACORDO COM DADOS DO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE), ABARÉ POSSUI UMA POPULAÇÃO TOTAL DE 17.072 HABITANTES, SENDO QUE 9.035 RESIDEM NA ÁREA URBANA E 8.037 NA ÁREA RURAL (IBGE, 2010). A HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA (HAS) DESTACA-SE ENTRE AS DOENÇAS CRÔNICAS PREVALENTES NA POPULAÇÃO DE ABARÉ NO ESTADO DA BAHIA. EM 2013 HAVIA 1.615 PESSOAS CADASTRADAS COMO HIPERTENSAS NO MUNICÍPIO (DATASUS, 2013A). EM RELAÇÃO AOS SERVIÇOS DE SAÚDE, O MUNICÍPIO CONTA COM 01 (UMA) UNIDADE HOSPITALAR DE PEQUENO PORTE O HOSPITAL MUNICIPAL JONIVAL LUCAS DA SILVA, 01 LABORATÓRIO PÚBLICO DE ANÁLISE CLÍNICAS, 01 NÚCLEO DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA (NASF), 08 (OITO) EQUIPES DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA (ESF), 08 (OITO) EQUIPES DE SAÚDE BUCAL, DISTRIBUÍDAS NAS ZONAS URBANA E RURAL, MOBILIZANDO 46 (QUARENTA E SEIS) AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE, VALE SALIENTAR QUE 100% DAS UNIDADES DE SAÚDE REALIZARAM A ADESÃO AO PMAQ (PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA). A COBERTURA TOTAL DAS ESF É DE 100%. A ESF ONDE FOI REALIZADA A INTERVENÇÃO É A ESF SÃO FRANCISCO, LOCALIZADA NA AGROVILA 16 NO PROJETO PEDRA BRANCA ZONA RURAL DE ABARÉ, A UNIDADE ATENDE 05 MICROÁREAS: AGROVILAS 14, 15, 16,17, 18 E 19, E AS FAZENDAS ESCALAVRADO, FORTUNA E ICÓ. A ECONOMIA DA POPULAÇÃO ADSCRITA PELA ESF SÃO FRANCISCO É BASEADA PRINCIPALMENTE PELA AGRICULTURA E PECUÁRIA (IBGE, 2010). O SEDENTARISMO, O USO ABUSIVO DE ÁLCOOL E TABACO, A ALIMENTAÇÃO INADEQUADA, OBESIDADE, DIFICULDADE DE ACESSO AOS SERVIÇOS DE SAÚDE ESPECIALIZADOS E A MÁ ADESÃO AO TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA (HAS) SÃO FATORES FREQUENTEMENTE IDENTIFICADOS DURANTE OS ATENDIMENTOS NA ESF SÃO FRANCISCO. DESSE MODO, DEVIDO AO FATO DA HAS TRATAR-SE DE UMA DOENÇA DE GRANDE IMPACTO NOS PADRÕES DE MORBIMORTALIDADE NO BRASIL E NO MUNDO, TORNA-SE RELEVANTE AMPLIAR AS DISCUSSÕES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE QUE ATUAM NA ATENÇÃO BÁSICA, APROFUNDANDO O CONHECIMENTO SOBRE ESSA TEMÁTICA PARA QUE OS MESMO TENHAM SUBSÍDIOS PARA TRATAR E ACOMPANHAR DE MANEIRA MAIS ADEQUADA POSSÍVEL OS PACIENTES COM ESTA PATOLOGIA EM ESPECIAL PACIENTE IDOSOS COM DIFICULDADES DE LOCOMOÇÃO E TRANSPORTE PARA SEU TRANSLADO A UNIDADE DE SAÚDE. PRETENDE-SE ASSIM, FORNECER SUBSÍDIOS PARA OS PROFISSIONAIS TRABALHAREM EM CONJUNTO COM OS IDOSOS COM HAS E ELABORAR ESTRATÉGIAS DE AÇÃO MAIS EFETIVAS A ESSA CLIENTELA, CONSIDERANDO SUAS ESPECIFICIDADES.
Como os idosos foram selecionados para participar?: 
PELA DIFICULDADE DE ACESSO A UNIDADE DE SAÚDE, TODOS OS IDOSOS QUE RESIDEM EM ÁREAS MUITO DISTANTE DA UNIDADE DE SAÚDE E SEM TRANSPORTE PARA LOCOMOÇÃO PARA UNIDADE DE SAÚDE
Quantos idosos pretendiam alcançar com essa experiência?: 
102
Quantos idosos participaram da experiência, por ano de atividade?: 
99
Ao final, ou até o momento, quantos idosos participaram da experiência?: 
96
Qual o principal motivo da saída dos idosos nas atividades da experência? Porque deixaram de participar?: 
01 IDOSO TEVE MUDANÇA DE DOMICILIO, 02 FALECERAM
Descreva detalhadamente como eram as atividades realizadas: 
AS ATIVIDADES SÃO REALIZADAS MENSALMENTE NAS COMUNIDADES, AS DATAS SÃO AGENDADAS PREVIAMENTE DURANTE A REUNIÃO MENSAL DE PLANEJAMENTO DAS AÇÕES MENSAIS DA EQUIPE DE SAÚDE DA UNIDADE. OS ACS SÃO RESPONSÁVEIS PELA DIVULGAÇÃO DO DIA E HORÁRIO DA ATIVIDADE NA LOCALIDADE, DURANTE A REUNIÃO SÃO DISCUTIDAS AS AÇÕES QUE SERÃO REALIZADAS, OS TEMAS QUE SERÃO TRABALHADOS DE ACORDO COM AS SUGESTÕES DOS IDOSOS OU DA EQUIPE, NESTAS REUNIÕES TAMBÉM SÃO IDENTIFICADOS OS IDOSOS QUE NECESSITAM DE ATENDIMENTO DOMICILIAR E O PROFISSIONAL OU PROFISSIONAIS NECESSÁRIOS PARA VISITA NO DOMICÍLIO. NESTES ENCONTROS MENSAIS SÃO REALIZADAS AVALIAÇÃO CLÍNICA INDIVIDUAL E COLETIVA DOS PACIENTES, ENTREGA DE MEDICAMENTO PRESCRITO PELO MÉDICO, RODAS DE CONVERSAS SOBRE DIVERSOS TEMAS COMO USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E PLANTAS MEDICINAIS, QUALIDADE DE VIDA, DIREITOS DO IDOSO, IMPORTÂNCIA DE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL LEVANDO EM CONTA O FATOR CULTURAL DESTA POPULAÇÃO, E A REALIZAÇÃO E INCENTIVO DA PRÁTICA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS.
Descreva quais as dificuldades encontradas para realização das atividades.: 
A PRIMEIRA DELAS FOI A QUESTÃO DO ESPAÇO FÍSICO, NÃO POSSUÍAMOS INICIALMENTE UM LOCAL PARA ATENDER ESSE PÚBLICO NA COMUNIDADE, CONSEGUIMOS PARCERIAS COM INTEGRANTES DAS IGREJAS QUE CEDERAM O ESPAÇO PARA O DESENVOLVIMENTO DA ASSISTÊNCIA E O SEGUNDO FOI O NÚMERO INSUFICIENTE DE MEDICAMENTOS ENVIADOS PARA UNIDADE SEMANALMENTE PARA PACIENTES HIPERTENSOS PRINCIPALMENTE CAPTOPRIL DE 25 MG E LOSARTANA DE 50 MG, QUE DEVIDO REALIZARMOS ATENDIMENTO SEMANALMENTE EM CADA LOCALIDADE O NÚMERO DE IDOSOS QUE ADERIRAM AO TRATAMENTO AUMENTOU E CONSEQUENTEMENTE O NÚMERO DE MEDICAMENTOS NECESSÁRIAS SEMANALMENTE TAMBÉM AUMENTARAM HOUVE A NECESSIDADE DE REALIZAR UM LEVANTAMENTO E A CRIAÇÃO DE UMA PLANILHA PARA IDENTIFICAR A QUANTIDADE DE MEDICAMENTO QUE SERIA NECESSÁRIO PARA ABASTECER A FARMÁCIA DA UNIDADE SEMANALMENTE. O TERCEIRO A FALTA DE INSTRUÇÃO E A NÃO ESCOLARIDADE DE ALGUNS IDOSOS O QUE DIFICULTAVA NA IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO E O HORÁRIO QUE DEVERIA TOMAR O MEDICAMENTO.
Quais foram os resultados observados depois da implementação?: 
MELHORA DO ACESSO DO AO IDOSO HIPERTENSO AOS SERVIÇOS DA UNIDADE DE SAÚDE.
Descreva os resultados observados de acordo com as metas previstas: 
REALIZAÇÃO DE ATENDIMENTO MENSALMENTE AOS IDOSOS HIPERTENSOS NA LOCALIDADE ONDE RESIDEM E VISITA DOMICILIAR AGENDADA
DESENVOLVIMENTO ATIVIDADES EDUCATIVAS DIRECIONADAS AOS IDOSOS HIPERTENSOS NAS COMUNIDADES
IDENTIFICAÇÃO POR MEIO DE AVALIAÇÃO CLÍNICA GRAU DE DEPENDÊNCIA DE AVD DE IDOSOS DURANTE A VISITA DOMICILIAR. REABILITAÇÃO DE IDOSOS E RECUPERAÇÃO DA CAPACIDADE DE REALIZAR UMA OU OUTRA ATIVIDADE DE VIDA DIÁRIA. A REABILITAÇÃO DE ALGUMAS FUNÇÕES.
Descreva em forma de indicadores quantitativos (números, proporções, taxas) os resultados alcançados pela experiência.: 
HOJE SÃO BENEFICIADOS 96 IDOSOS DE AMBOS OS SEXOS, MENSALMENTE SÃO REALIZADOS 82 ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS AOS IDOSOS HIPERTENSO COM 04 ENCONTROS COMUNITÁRIOS, 08 VISITAS DOMICILIARES MENSALMENTE, NOS ÚLTIMOS 11 MESES TIVEMOS REGISTRO SOMENTE DE 02 DUAS QUEDAS ENTRE A POPULAÇÃO IDOSA HIPERTENSA.
Existe equipe responsável pelo monitoramento/avaliação da experiência?: 
Sim
Com que frequência se reúne?: 
A CADA 02 MESES
Quais os pontos positivos da experiência?: 
PRESENÇA ASSÍDUA DOS IDOSOS HIPERTENSOS NO ATENDIMENTO DENTRO DA COMUNIDADE, DESENVOLVIMENTO E ESTIMULAÇÃO DE AUTOESTIMA DOS IDOSOS, TROCA DE EXPERIÊNCIA DA EQUIPE DE SAÚDE COM OS IDOSOS E FAMILIARES DENTRO DA COMUNIDADE. REABILITAÇÃO DE ALGUMAS FUNÇÕES DE ATIVIDADE DIÁRIA, EMBORA MUITAS VEZES POSSA PARECER INSIGNIFICANTE PARA A FAMÍLIA, DEVOLVE AO IDOSO A CAPACIDADE DO FAZER POR ELE MESMO, OU SEJA, DO AUTOCUIDADO COMO POR EXEMPLO PENTEAR O CABELO OU REGAR UMA PLANTA, TOMAR O MEDICAMENTO CERTO NA HORA CERTA.
Quais as limitações da experiência?: 
Alguns idosos vivem em situação de vulnerabilidade social e situação econômica precária, com sinais de fragilidade e dependência em suas atividades básicas de vida diária onde muitas vezes não possuem familiares que dediquem-se ao cuidado destes idosos.
2018
-
Nordeste
Abre a janela, me deixa te ver

TÍTULO COMPLETO: Abre a janela, me deixa te ver: projeto de intervenção para adesão de idosos agricultores ao tratamento da hipertensão arterial sistêmica na zona rural de Abaré, Bahia

INTRODUÇÃO

O desenvolvimento do trabalho com idosos hipertensos na zona rural surgiu pós um diagnóstico situacional da comunidade adscrita na ESF, durante o diagnóstico observou-se que devido a longa distância das agrovilas e fazendas até a unidade de saúde muitos idosos por falta de transporte não compareciam as consultas de acompanhamento e tratamento de has nem as atividades educativas realizadas na unidade, entendendo que a HAS é uma doença que pode desencadear problemas graves se não tratada adequadamente resolvemos ir ao encontro deste idosos na comunidade e/ou dentro de seu domicilio.

OBJETIVOS

A equipe de saúde da unidade, por meio desta ação procurou se aproximar do cotidiano dos idosos hipertensos, buscando compreender de que forma poderia está captando estes idosos para que pudessem ser acompanhados tratados na própria localidade, já que possuem dificuldades de transporte para sua locomoção a unidade de saúde, e a partir desde encontro entre a equipe da unidade e este público desenvolver atividades dinâmicas e lúdicas para educar o idoso e sua família para alcançar metas de saúde, proporcionando uma assistência mais humanizada e integral que colabora na melhoria da qualidade de vida do paciente.         

METAS

  • Assistir os idosos  hipertensos na comunidade onde reside e/ou no domicilio;
  • Garantir o desenvolvimento ações educativas em conjunto com o NASF;
  • Detectar grau de dependência de atividades da vida diária dos idosos  e incentivar reabilitação o mais precocemente possível.

PÚBLICO-ALVO

Participam da experiência idosos agricultores hipertensos de ambos os sexos da zona rural de Abaré na Bahia.

NÚMERO DE PARTICIPANTES

96

DIVULGAÇÃO

A experiência foi e é divulgada porta porta pelo agente comunitário de saúde e com avisos no conselho local de saúde.

ATIVIDADES

As atividades são realizadas mensalmente nas comunidades, as datas são agendadas previamente durante a reunião mensal de planejamento das ações mensais da equipe de saúde da unidade. Os acs são responsáveis pela  divulgação do dia e horário da atividade na localidade, durante a reunião são discutidas as ações que serão realizadas, os temas que serão trabalhados de acordo com as sugestões dos idosos ou da equipe, nestas reuniões também são identificados os idosos que necessitam de atendimento domiciliar e o profissional ou profissionais necessários para visita no domicílio. Nestes encontros mensais são realizadas avaliação clínica individual e coletiva dos pacientes, entrega de medicamento prescrito pelo médico, rodas de conversas sobre diversos temas como uso racional de medicamentos e plantas medicinais, qualidade de vida, direitos do idoso, importância de alimentação saudável levando em conta o fator cultural desta população, e a realização e incentivo da prática de exercícios físicos.   

EQUIPE

01 Enfermeira responsável pelo diagnóstico situacional da comunidade e articulação das ações na comunidade, acompanhamento do estado de saúde dos idosos, exame físico dos pacientes, palestras educativas, roda de conversa, visita domiciliar

01 Médica- avaliação, acompanhamento do estado de saúde, palestras, roda de conversa, visita domiciliar

01 Odontólogo- visita domiciliar, palestra 

 01 acd- visita domiciliar

01 Acs- acompanhamento do estado de saúde, responsáveis pelos avisos aos idosos e familiares

01 Técnico de enfermagem- acompanhamento do estado de saúde

01 Educador físico- práticas corporais

01 Pscicológa- acompanhamento do estado de saúde mental do idoso, roda de conversa, palestra, visita domiciliar.

01 Fisioterapeuta- acompanhamento do estado de saúde do idoso, avaliação do grau de dependência, roda de conversa, palestra, visita domiciliar, reabilitação e auriculoterapia.

01 Farmacêutica- orientação quanto uso de medicamento, visita domiciliar, palestra, orientação quanto a horta domiciliar.

01 Nutricionista-  acompanhamento do estado nutricional do idoso, visita domiciliar

01 Assistente social- garantia dos direitos do idosos, visita domiciliar e palestras.

01 Fonoaudiologa – visita domiciliar, acompanhamento do estado de saúde

EQUIPAMENTOS E RECURSOS FINANCEIROS

Espaço físico dentro das localidades para realização das atividades (igrejas, salões comunitários e varanda de residências),

Bolas para atividade corporal;

Veículo para transporte da equipe de saúde às localidades e visita domiciliar

Material para exame físico: esfigmomanômetro, estetoscópio, otoscópio, fita métrica, lanceta, caixa para perfurocortante,algodão para assepsia e antissepsia, balança, glicosímetro e fita reagente para glicemia, caderneta do idoso.

Lanches para roda de conversas:r$ 80,00

RESULTADOS

A tenda do conto tem se configurado uma estratégia potente, uma vez que os usuários já levantaram questões sobre a união dos participantes para a criação de uma associação de idosos do bairro, promovendo reflexões acerca da participação popular e do empoderamento da população sobre seus direitos e deveres. Ainda, proporciona uma atividade de estímulo de memória e qualidade na competência comunicativa dos usuários, levando em consideração que muitos moram sozinhos e/ou sentem prejuízos nas mudanças de papel social advindas da idade.

Ficha técnica

Município:
ABARÉ
Instituição Responsável:
SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE ABARÉ
Coordenação da experiência:
ESF SÃO FRANCISCO
Email da coordenação:
atbasica.abare@gmail.com
Telefone institucional:
(75) 3287-2387
Categoria da experiência:
Atenção à saúde da pessoa idosa no ambiente domiciliar
Parceiros:
NASF, CONSELHO LOCAL DE SAÚDE

Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa/DAPES/SAS/MS
Telefone: (61) 3315-6226
idoso@saude.gov.br